Um motor pode durar muito tempo, por isso temos carros antigos ainda em funcionamento, mas falando especificamente de quilometragem, pode-se rodar até um milhão de quilômetros ou mais.

Achou absurdo? Pois não é.

Depende de como se roda, de como é feita a manutenção e muitos outros fatores. Boa parte dos carros rodam muito antes de irem para os ferros-velhos e geralmente só saem das ruas por problemas com documentação ou acidentes que resultam em perda total.

Sendo assim, pode-se afirmar que vários fatores podem tirar um carro de circulação, mas ao contrário do que muitos podem pensar a quilometragem alta não é um deles, pois quase sempre há possibilidade de se recuperar um motor desgastado.

Então se você respeitar o limite de rotação do motor, as trocas de óleo, a verificação da água de arrefecimento, troca de velas, cabos, correias e outros periféricos do motor dentro do plano de manutenção estipulado pela fábrica, além é claro do abastecimento com combustível de qualidade é muito provável que seu motor rode até 250 mil quilômetros sem necessidade de retífica.

Para resumir, a durabilidade do motor depende mesmo é da peça que está atrás do volante (o motorista). E na hora de comprar um carro usado verifique o estado geral do veículo e não se atenha apenas a quilometragem. Muitas vezes carros usados com quilometragem baixa na verdade tiveram seu hodômetro adulterado e podem ser verdadeiras bombas.